DOMPERIDONA – Para que Serve, Doses e Efeitos Colaterais

Bula simplificada do medicamento domperidona (Motilium), contendo apenas informações relevantes aos pacientes, com linguagem acessível a todos.

A domperidona, também conhecida pelos nome comercial Motilium, é um medicamento que tem a propriedade de acelerar o esvaziamento do estômago, sendo, assim, útil para o tratamento das náuseas, dor de estômago, distensão gástrica e refluxo gastroesofágico.

Apesar de ser um medicamento seguro e com baixo potencial de provocar de efeitos adversos, a domperidona pode estar associada a um risco aumentado de arritmias cardíacas graves, particularmente quando são usadas doses diárias acima de 30 mg ou quando o fármaco é utilizado em pacientes com mais de 60 anos.

Neste artigo vamos abordar os seguintes pontos sobre a domperidona:

– Mecanismo de ação.
– Indicações.
– Nomes comerciais mais famosos.
– Como tomar.
– Efeitos colaterais.
– Contraindicações.
– Interações medicamentosas.

Atenção: este texto não pretende ser uma bula completa da domperidona. Nosso objetivo é ser menos técnico que uma bula e mais útil aos pacientes que procuram informações objetivas e em linguagem adequada ao público leigo.

Ações e INDICAÇÕES

A domperidona é uma droga com ação antidopaminérgica, pois ela age impedindo a ligação do neurotransmissor dopamina ao seus receptores D2.

Essa inibição da ligação da dopamina aos receptores D2 provoca os seguintes efeitos:

  • Aumento da peristalse do esôfago, o que acelera a passagem dos alimentos em direção ao estômago.
  • Aumento da pressão do esfíncter inferior do esôfago, o que diminui o risco de refluxo gastroesofágico.
  • Aumento da motilidade gástrica e do duodeno, o que acelera o esvaziamento do estômago.
  • Ação antiemética (inibição de náuseas e vômitos).
  • Aumento da secreção de prolactina, que é o hormônio responsável pela produção de leite.
  • Bloqueia os efeitos adversos dos medicamentos à base de dopamina, como a levodopa (L-dopa) e bromocriptina.

Portanto, dados os efeitos descritos acima, a domperidona costuma ser indicada nas seguintes situações clínicas:

Nomes comerciais da domperidona

A domperidona pode ser encontrada nas farmácias sob a sua forma genérica ou através dos seus vários nomes comerciais.

Como já referido, o nome comercial mais famoso da domperidona é o Motilium, medicamento produzido pelo laboratório Janssen-Cilag e que é considerado a marca de referência para essa substância.

Os outros nomes comerciais da domperidona são:

  • Domperix.
  • Dompliv.
  • Dompgran.
  • Molidon.
  • Motiridona.
  • Peridal.
  • Peridona.

Como tomar

A domperidona pode ser encontrada sob as formas de comprimidos de 10 mg ou xaropes (suspensão oral) de 1 mg/ml.

Adultos

A dose recomendada para pessoas com mais de 12 anos e mais de 35 quilos é 10 mg (ou 10 ml do xarope), 3 vezes por dia. As doses devem ser administradas, de preferência, 15 minutos antes das refeições ou logo ao deitar (para quem sofre de refluxo à noite).

A dose máxima recomendada pelo fabricante é de 40 mg a 80 mg por dia (4 a 8 comprimidos por dia). Porém, a incidência de efeitos colaterais aumenta muito com doses acima de 30 mg por dia (3 comprimidos por dia).

Para minimizar os riscos de efeitos colateiras, o uso da domperidona deve ser limitado a 7 dias.

Crianças

Apesar de não ser contraindicada, a domperidona deve ter seu uso limitado, principalmente nos casos de automedicação, nas crianças com menos de 35 kg.

Quando o seu uso é indicado pelo pediatra, a dose preconizada é de 2,5 ml do xarope para cada 10 quilos de peso corporal (0,25 ml/kg), 3 vezes ao dia (a dose diária máxima é de 35 mg ou 35 ml).

Exemplo: uma criança de 20 quilos deve tomar 5 ml (5 mg), 3 vezes por dia.

Efeitos colaterais

Os efeitos adversos da domperidona costumam surgir quando o paciente faz uso prolongado da medicação ou quando as doses são maiores que 30 mg/dia.

Entre os efeitos colaterais mais comuns podemos citar: dor de cabeça, diarreia, depressão, agitação, ansiedade, menstruação irregular, galactorreia (secreção de leite), dor mamária, aumento do volume das mamas, retenção urinária e boca seca.

A ocorrência de arritmias cardíacas graves é um evento raro, que costuma ocorrer apenas em pacientes que fazem uso prolongado e em doses maiores que 30 mg por dia ou que já tenham alguma doença que predisponha à arritmia cardíaca.

Contraindicações

A domperidona não deve ser administrada em pacientes com as seguintes características:

  • História de alergia a qualquer um dos componentes da fórmula.
  • Alterações no eletrocardiograma que predisponham a arritmias, como a existência de um intervalo QT alargado (leia: ENTENDA O SEU ELETROCARDIOGRAMA).
  • Doenças cardíacas, como insuficiência cardíaca moderada a grave (leia: INSUFICIÊNCIA CARDÍACA – Causas, Sintomas e Tratamento).
  • Hemorragia gastrointestinal ativa.
  • Insuficiência hepática moderada a grave.
  • Existência de prolactinoma (tumor produtor de prolactina).

Apesar de seguros em animais, não há estudos em humanos que atestem a segurança da domperidona durante a gravidez. Portanto, o seu uso deve ser evitado em gestantes. Pelo mesmo motivo, o uso durante o aleitamento materno também é desaconselhado.

Dado o risco de arritmias cardíacas, este medicamento deve ser utilizado com cuidado por pessoas com mais de 60 anos.

Interações medicamentosas

A administração concomitante de domperidona com fármacos que são inibidores potentes do citocromo P450 3A4 (CYP3A4) aumenta o risco de arritmias cardíacas por causarem prolongamento do intervalo QT. Entre os medicamentos mais comuns que fazem parte deste grupo estão: claritromicina, eritromicina, itraconazol, cetoconazol, fluconazol, hidroxicloroquina, indapamida, ritonavir, saquinavir, telitromicina e voriconazol.

A domperidona não interfere no efeito da pílula anticoncepcional.

Deixe um Comentário

Antes de comentar, leia as REGRAS PARA COMENTÁRIOS.

Seu email não será publicado.