EVRA – ADESIVO ANTICONCEPCIONAL

Conheça o método anticoncepcional que age através de um adesivo para colar na pele.

O adesivo anticoncepcional é uma forma de contracepção hormonal semelhante à pílula anticoncepcional, porém mais cômoda por ser feita através de adesivos transdérmicos que precisam ser aplicados à pele apenas 1 vez por semana. O mecanismo de ação do adesivo é igual ao da pílula, com a vantagem de não ser necessário tomar comprimidos diariamente.

Neste artigo vamos fazer uma revisão sobre o adesivo contraceptivos, incluindo suas vantagens, eficácia, mecanismo  de ação, forma de uso, efeitos colaterais e contraindicações.

Se você quiser conhecer outros métodos contraceptivos além do adesivo, acesso o seguinte artigo: 20 MÉTODOS ANTICONCEPCIONAIS MAIS COMUNS.

O que é o adesivo anticoncepcional

O adesivo contraceptivo, também conhecido como patch contraceptivo, é um método anticoncepcional baseado na administração dos hormônios estrogênio e progesterona através de um adesivo que precisa ser aplicado à pele. O adesivo anticoncepcional é basicamente a pílula anticoncepcional com administração transdérmica sob a forma de adesivo para a pele.

Exceto pela via de administração dos hormônios, o adesivo e a pílula são métodos quase idênticos, com taxa de eficácia, mecanismo de ação, efeitos colaterais e contraindicações semelhantes.

O adesivo contraceptivo encontra-se no mercado desde 2002 e é vendido sob o nome comercial Evra.

O Evra é um adesivo com uma área de superfície de 20 cm² (4,5 cm x 4,5 cm), que foi desenvolvido para proporcionar a liberação de norelgestromina (progesterona) e de etinilestradiol (estrogênio) de forma contínua na corrente sanguínea. Cada adesivo de Evra contém 6 mg de norelgestromina e 0,6 mg de etinilestradiol.

O adesivo anticoncepcional é composto por três camadas: a camada exterior, que é resistente à água e protege as camadas subjacentes; a camada do meio, que é a parte que contém a medicação e o adesivo em si; e a camada interna, que é basicamente é um revestimento protetor que deve ser destacado antes da aplicação do adesivo na pele

Como usar o adesivo contraceptivo

O adesivo deve ser aplicado à pele, preferencialmente no primeiro dia do ciclo menstrual, ou seja, no primeiro dia da menstruação. O dia da semana deve ser memorizado, pois a cada sete dias, o adesivo deve ser retirado e substituído por um novo.Adesivo anticoncepcional

Para facilitar a memorização do dia, alguns médicos sugerem o início do tratamento no primeiro Domingo após o início do ciclo menstrual. O único porém nesta forma é que, se o primeiro Domingo cair depois do 5ª dia de menstruação, o efeito contraceptivo do adesivo só será pleno após o 7ª dia de uso do método. Portanto, nos primeiros 7 dias de uso, será necessário o uso de outro método contraceptivo complementar caso a mulher tenha relações. Quando o adesivo é colocado no primeiro dia da menstruação, a sua eficácia contraceptiva é imediata.

O adesivo pode ser aplicado em diversas áreas do seu corpo, contanto que a pele esteja limpa, seca e não haja muitos pelos. Em geral, os locais mais utilizados são a face externa do braço, abdômen, coxa, nádegas ou tronco. As mamas devem ser evitadas, pois a absorção local de estrogênio pode causar mastalgia (dor mamária). O patch pode ser usado durante o exercício, banho, natação, sauna ou mesmo na praia. A adesão não é afetada pelo calor, umidade, ou exercício. A capacidade de aderência do adesivo é muito grande e ele não costuma sair espontaneamente.

Uma vez aplicado o adesivo anticoncepcional, o mesmo deve ser substituído por um novo após 1 semana. Esse processo se repete por 3 semanas. Na 4ª semana, a mulher faz uma pausa, ficando 1 semana inteira sem adesivo (ciclo = 21 dias de uso + 7 dias de pausa). Geralmente, é nessa semana de pausa que a menstruação desce, porém, nem todas as mulheres menstruam durante este período. Após 7 dias de pausa, um novo adesivo deve ser colocado, iniciando-se um novo ciclo, mesmo que menstruação ainda esteja presente.

A proteção contra gravidez é contínua, não desaparecendo durante os 7 dias de pausa.

Problemas na aplicação do EVRA

O adesivo anticoncepcional deve ser utilizado exatamente como foi explicado acima. Qualquer problema com a sua aplicação pode provocar falhas no seu efeito contraceptivo.

Atraso no reinício do ciclo

Quando por esquecimento um novo ciclo do adesivo não é iniciado no dia correto, as usuários são instruídas a aplicar um novo patch assim que se lembrarem. Esse dia da semana passa a ser o novo dia para as trocas. Quando ocorre um atraso no reinício do ciclo, é preciso utilizar nos primeiros 7 dias um método contraceptivo alternativo, como a camisinha, caso haja relação sexual.

Atraso no início do segundo ou do terceiro adesivo do ciclo

O correto é trocar o adesivo anticoncepcional a cada 7 dias. Porém, o adesivo ainda é capaz de liberar quantidades satisfatórias de hormônios até o 9º dia de uso. Portanto, há uma janela de 48 horas em que a troca pode ser atrasada sem compromisso do efeito contraceptivo. O dia original de mudança do adesivo se mantém.

Se o atraso for maior que 48 horas, o novo adesivo deve ser aplicado assim que possível, mas o uso de um método contraceptivo alternativo será necessário nos próximos 7 dias. O dia em que a paciente se lembrar de aplicar o patch se tornará o novo dia de mudança.

Atraso na remoção do adesivo antes da pausa

Esquecer-se de remover o terceiro patch a tempo é menos grave que esquecer de remover o primeiro ou segundo adesivos do ciclo. Neste caso, a usuária deve remover o patch assim que se lembrar, não havendo necessidade de alterar o dia do reinício do ciclo (a pausa será mais curta desta forma).

Descolamento do adesivo

O descolamento parcial ou total do adesivo é raro, ocorrendo em menos de 3% dos casos. Em geral, os melhores locais para se aplicar o adesivo são aqueles mais visíveis, para que a mulher possa detectar descolamentos de forma rápida.

Se o adesivo tiver se soltado, totalmente ou parcialmente, por menos de 24 horas, ele pode ser recolocado no mesmo local, contando que a cola ainda esteja funcionado. Se o adesivo não se fixar totalmente à pele, um novo adesivo deve ser utilizado. Como o intervalo foi menor que 24 horas, o dia da próxima troca continua a ser o mesmo. Nunca deve-se utilizar esparadrapos ou qualquer outro tipo de fita adesiva comum para tentar segurar um adesivo anticoncepcional que não está se fixando à pele. Se o adesivo contraceptivo perdeu a capacidade de grudar na pele, ele também perdeu a capacidade de ser um contraceptivo.

Caso o adesivo tenha se descolado, parcialmente ou totalmente, da pele há mais de 24 horas, um novo adesivo deve ser utilizado, e o uso de um método contraceptivo alternativo será necessário nos próximos 7 dias. O dia da semana no qual o novo adesivo é aplicado passa a ser o novo dia de troca.

Eficácia do adesivo contraceptivo

O adesivo anticoncepcional é um método contraceptivo extremamente eficaz, com taxas de sucesso semelhantes às da pílula anticoncepcional. Se utilizado de forma correta, isto é, sem atrasos nas trocas e erros na aplicação à pele, a eficácia do método é de 99,7%.

Na prática, porém, muitas mulheres acabam esquecendo a data da troca do adesivo, fato que compromete a eficácia do método. Estudos mostram que a cada 100 mulheres que utilizam o adesivo durante um ano inteiro, 8 acabam engravidando (taxa de 92% de sucesso). As falhas ocorrem exatamente por erros na hora de trocar um adesivo por outro.

Estudos apontam que a eficácia do adesivo é mais baixa em mulheres obesas, principalmente naquelas que pesam mais de 90 quilos. Nesta população, outro método contraceptivo deve ser escolhido.

Como a absorção dos hormônios é feita pela pele, sem passar pelo trato gastrointestinal, a presença de diarreia ou vômitos em nada interfere na ação do adesivo.

Efeitos colaterais do evra

Nos primeiros meses de uso, o efeito colateral mais comum do adesivo contraceptivo é a alteração no padrão da menstruação, que pode ser desde aumento no volume menstrual a pequenos sangramentos fora de época ou ausência de menstruação em alguns ciclos. Em geral, os dois primeiros meses são os piores, havendo regularização do quadro após 6 meses na maioria das mulheres. Cerca de 18% das mulheres notam alguma perda de sangue inesperada nos primeiros meses de uso do patch, mas após 6 meses, menos de 5% ainda queixam-se deste problema.

Na verdade, após alguns ciclos, o que a maioria das mulheres nota é uma melhora do padrão menstrual, com regularização da menstruação, redução do volume de sangue perdido e menos sintomas pré-menstruais.

Outros efeitos colaterais comuns do adesivo são a mastalgia (leia: DOR NO SEIO | DOR NA MAMA), dor de cabeça, reação alérgica no local do adesivo, náuseas e cólicas menstruais. Exceto pela dor mamária e pela irritação local na pele, que são mais comuns no adesivo, a frequência dos outros efeitos colaterais é semelhantes nas mulheres que tomam a pílula anticoncepcional.

Para diminuir a incidência de irritação na pele, sugere-se que a cada troca o novo adesivo seja colado em um local diferente da pele.

Assim como ocorre na pílula anticoncepcional, o adesivo contraceptivo não provoca ganho de peso. Um estudo com mais de 800 mulheres demonstrou que após 9 meses de uso do adesivo contraceptivo, o ganho de peso foi semelhante ao grupo controle de mulheres que não usavam o patch. Para saber mais sobre ganho de peso com a pílula anticoncepcional, leia: TOMAR ANTICONCEPCIONAL ENGORDA?

O adesivo contraceptivo também não costuma interferir na libido.

Riscos do adesivo anticoncepcional

Por ser a versão em adesivo da pílula anticoncepcional, o adesivo contraceptivo possui basicamente os mesmos riscos da pílula. Apesar de incomuns, os eventos trombóticos ou cardiovasculares,  como infartos e AVC, são as complicações mais temidas do uso de anticoncepcionais hormonais.

Habitualmente, recomendamos que mulheres com fatores de risco para doenças cardiovasculares, tais como diabetes, obesidade, hipertensão, tabagismo, etc. , evitem o uso prolongado de métodos contraceptivos hormonais, incluindo a pílula e o adesivo anticoncepcional.

Nas mulheres jovens e sem fatores de risco, o risco de eventos trombóticos é bem baixo, sendo cerca de 10 casos a cada 10.000 mulheres (0,1%). No caso dos eventos cardiovasculares, o risco é ainda menor, sendo cerca de 2 casos a cada 10.000 mulheres (0,02%). Portanto, os métodos contraceptivos hormonais são bastante seguros se o seu uso for indicado de forma prudente.

Para saber mais sobre os efeitos colaterais e riscos dos anticoncepcionais hormonais, leia: EFEITOS COLATERAIS DOS ANTICONCEPCIONAIS HORMONAIS.

Antibióticos cortam o efeito do adesivo anticoncepcional?

A imensa maioria dos antibióticos pode ser administrada nas mulheres que usam o adesivo contraceptivo sem nenhum risco. Assim como ocorre na pílula anticoncepcional, os antibióticos não provocam perda do efeito contraceptivo do patch. A única exceção é o antibiótico rifampicina (e o seu derivado rifabutina).

Portanto, exceto pela rifampicina, qualquer outro antibiótico pode ser administrado sem preocupações nas pacientes que usam o patch contraceptivo.

Para saber mais detalhes sobre as interações dos antibióticos com os métodos contraceptivos hormonais, leia: Antibióticos Cortam o Efeito dos Anticoncepcionais?

Deixe um Comentário

Antes de comentar, leia as REGRAS PARA COMENTÁRIOS.

Seu email não será publicado.

15 Comentários

  1. Tammy

    Eu tive embolismo pulmonar agudo aos 19 anos, isso em 2013 (fiquei 3 dias na uti, fiz uso de anticoagulantes e acompanhei por um tempo).
    Em 2015, utilizei por 1 ano o contracept (trimestral), e parei.
    Meu ginecologista quase teve um filho quando soube disso (estava tomando sem indicação dele)

    Estou a 4 anos sem sintomas, sem problemas, os exames sempre dão normais (nunca tive coágulos em outra parte do corpo que não o pulmão)

    Qual o risco de hoje, com 23 anos, eu fazer o uso do adesivo?!

    1. Dr. Pedro Pinheiro

      Se eu fosse você, não faria mais uso de anticoncepcionais hormonais. O melhor método é o DIU.

  2. Viviane Viana

    Colei o adesivo no 10º dia após o início da menstruação, o efeito contraceptivo é eficiente após 7 dias da colagem, ou é necessário esperar mais tempo?

  3. Grace Helen

    Uso adesivo há mais de 1 ano, quero engravidar, depois que retiro o adesivo demora quanto tempo?

    1. Dr. Pedro Pinheiro

      O adesivo só tem ação por 7 dias. Em princípio, depois da próxima menstruação, você poderá voltar a ovular.

  4. Nisdarly Leal

    Faca uso do Adesivo evra a 1ano
    durante dois meses estou com alergia
    com queimação no local da aplicação do
    adesivo.
    estou pensando seriamente em trocar meu anticoncepcional

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Se há alergia ao adesivo, trocar é uma opção que faz sentido.

  5. Renata Daniel

    Qual seria o melhor metodo para nao se ter mestruacao, nem sangramento?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Qualquer anticoncepcional de uso contínuo causa supressão da menstruação. O ideal é você discutir com o ginecologista qual é a forma que mais se adapta às suas características clínicas. O ideal é que a escolha seja individualizada.

  6. Amanda

    Comecei a usar o evra no meu primeiro dia de menstruação. Dez dias depois, tive relações com uso de preservativo, mas ficou metade deste dentro após o ato e fiquei com medo de ter escorrido um pouco. Corro risco de gravidez?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Se o Evra foi colocado no primeiro dia da menstruação, o efeito anticoncepcional dele já começa imediatamente.

  7. marcia

    Tenho hipotiroidismo gostava de saber se posso usar patch contraceptivo? Obrigada pela atenção dispensada e parabéns pelo site..

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Hipotireoidismo não é contraindicação ao patch.